Flores azuis

Terça-feira, 21/Julho/09 § 1 Comentário

Certa vez, muitos anos atrás, eu quis encher uma casa de flores. Entre margaridas, rosas e tantas outras desconhecidas minhas, estavam elas ali: as flores azuis.

Depois, já aqui na casinha, nem me lembrava que eram minhas vizinhas. Dia desses, me dei conta. E não eram mais nada além de flores azuis.

Anúncios

Réveillon

Quinta-feira, 22/Janeiro/09 § Deixe um comentário

Banho longo, sal grosso, roupa branca. Uma boa dose de esperança e voilá! Começava a festa.

A TV ligada (quase) não deixava margem para olhares constrangidos. Aquelas pessoas estavam ali há horas e, embora compartilhassem um mesmo sobrenome, eram praticamente estranhos.

Estávamos em mais uma das reuniões familiares que,  por terem se tornado uma convenção anual de fofocas e maledicências, pouco mantinham o propósito original de harmonia. Ora via-se um tio alcoolizado erguer a taça em brinde, ora ouvia-se o estilhaçar de uma garrafa em meio a gritos e desaforos. Não se pode negar: tudo era colocado em pratos limpos, para o bem ou para o mal.

A menina observava tudo silenciosamente com os restos de ilusão. E o cachorro se escondia atrás do sofá com os restos de churrasco.

ok, ok…

Sábado, 12/Abril/08 § 6 comentários

Tá, comecei. Nunca tive um diário, não colava recordações na agenda. Mas agora eu tenho um blog.

Claro que eu gosto mesmo é de gente, de troca, de aprendizado, de sorrisos. Me apego, sofro, morro de saudades. Quero levar sempre meus amigos de verdade comigo, mas a vida que a gente escolhe viver não nos ajuda muito. No entanto, a gente sabe que não impede, é só dar uma forcinha.

É pra isso que vou escrever aqui assim, sem compromisso, quando der, quando tiver o que dizer. Sem foco, sem linha editorial. A única linha que quero aqui é a que encurta a distância que me separa de compartilhar meu dia-a-dia com você que, de alguma forma, acabou de se encontrar comigo.

Where Am I?

You are currently browsing the cotidiano category at corda solta.